Investimento em fundos imobiliários: como selecionar os melhores?

Investimento em fundos imobiliários: como selecionar os melhores?

Investimento em fundos imobiliários: como selecionar os melhores?

Antes de alocar recursos em qualquer oportunidade do mercado financeiro, é fundamental analisar as características da alternativa. No caso do investimento em fundos imobiliários (FIIs), a tarefa é ainda mais importante, devido à quantidade de fundos disponíveis.

Afinal, nem todos são adequados para o rendimento que você espera obter e para os riscos que pretende correr. Logo, é preciso analisar as informações sobre o fundo para ter mais segurança na tomada de decisão.

Se você tem interesse no assunto, continue a leitura e descubra como selecionar os fundos imobiliários mais alinhados às suas necessidades!

O que é um fundo imobiliário?

Investir no mercado de imóveis não se limita a comprar uma propriedade. Se você deseja aproveitar o setor imobiliário de outras formas, é possível adquirir cotas de FIIs para fazer parte do seu portfólio.

Eles são fundos de investimento da renda variável, então funcionam de maneira coletiva. Nesse caso, o investidor interessado adquire cotas aportando recursos financeiros. O patrimônio do fundo é movimentado por um gestor profissional, seguindo a estratégia estabelecida.

No caso dos FIIs, a maior parte dos recursos é destinada aos imóveis e títulos ligados ao segmento imobiliário. Dessa maneira, você pode se expor ao desempenho do setor sem precisar adquirir imóveis.

Como funciona o fundo imobiliário?

Depois de entender o conceito, vale se aprofundar sobre o funcionamento dos FIIs. Como você viu, os investidores interessados adquirem as cotas de fundos imobiliários. Elas são negociadas na bolsa de valores, utilizando o home broker da sua corretora.

A partir dessa aquisição, os investidores passam a ter direito de participar dos resultados obtidos. Ademais, os fundos podem contar com diferentes estratégias, que tratam do foco principal dos investimentos feitos pelo gestor.

Na prática, há três tipos de FIIs disponíveis. São eles:

  • fundos de papel: investem prioritariamente em certificados e títulos ligados ao mercado de imóveis, como a letra de crédito imobiliário (LCI) e o certificado de recebíveis imobiliários (CRI);
  • fundos de tijolo: investem a maior parte dos recursos em imóveis físicos, como lajes corporativas ou galpões industriais;
  • fundos de fundos: priorizam a aquisição de cotas de outros fundos imobiliários.

Uma característica importante desses fundos é que eles podem pagar dividendos, que representam os lucros divididos proporcionalmente entre os cotistas. Porém, ia distribuição é mais comum nos FIIs de tijolo.  

Quais as vantagens do investimento em fundos imobiliários?

Para decidir se vale a pena investir nos fundos imobiliários, é interessante conhecer quais são os principais benefícios dessa modalidade. Nesse sentido, um dos aspectos mais relevantes é o baixo investimento inicial em comparação ao que seria exigido na compra de um imóvel.

Outro ponto de destaque é que a variedade de estratégias contempla interesses diferentes, o que aumenta as oportunidades de encontrar um FII adequado à sua carteira. A alternativa ainda traz a praticidade de poder contar com um gestor para tomar as decisões sobre o portfólio do fundo.

Vale destacar que os dividendos distribuídos podem contar com a isenção de Imposto de Renda, o que tende a melhorar o retorno líquido. Por fim, os FIIs colaboram com a diversificação da carteira de investimentos.

Como analisar e selecionar um fundo imobiliário?

Para aproveitar todos os aspectos positivos do investimento em fundos imobiliários, é essencial saber identificar quais são os melhores FIIs para você. O processo de avaliação permite fazer escolhas alinhadas à sua realidade e pode ajudar no alcance dos resultados esperados.

Saiba o que fazer para selecionar as melhores alternativas!

Avalie seu perfil e seus objetivos

Antes de tomar qualquer decisão é fundamental saber quais são as suas características. Isso significa avaliar, por exemplo, qual é o seu perfil de investidor. Dependendo do seu apetite ao risco, pode-se selecionar um fundo com uma gestão agressiva ou conservadora.

Também é crucial compreender quais são os seus objetivos financeiros. No geral, o investimento em FII é adequado para o longo prazo, mas há outros interesses para considerar.

Se você deseja ter uma renda passiva ou se quiser alcançar a independência financeira, por exemplo, vale focar em um fundo que pague bons dividendos. Além disso, será necessário pensar nos tipos disponíveis e como eles se encaixam em sua realidade.

Conheça a gestora do fundo

Depois de entender quais são as suas características, é preciso considerar outros aspectos do investimento em fundos imobiliários. Nesse sentido, um dos pontos mais importantes consiste em conhecer a gestora do fundo.

O desempenho do FII depende, entre outros pontos, da habilidade do gestor em alocar os recursos. Portanto, o ideal é contar com uma gestora qualificada, bem estruturada e que seja experiente no mercado. Considere, também, informações como a taxa de administração e de performance.

Analise a estratégia

A avaliação do fundo imobiliário também deve considerar a estratégia adotada, que deve ser alinhada ao seu perfil e objetivos. Ao conhecê-la, você saberá qual é o nível de risco assumido e como a gestão realizará as escolhas para alocação dos recursos.

Isso é especialmente importante para avaliar a relação de risco e retorno. Dessa maneira, você consegue entender quais são as expectativas de ganhos de acordo com o risco assumido e se ele está alinhado às suas necessidades.

Confira a lâmina do fundo

Para ter uma visão completa sobre as regras e o funcionamento do fundo imobiliário, o mais indicado é buscar a lâmina do FII. É nela que constam todas as informações relevantes — como taxas, distribuição de dividendos, valor patrimonial, total de cotas, entre outras.

Essa análise é indispensável para que você não tenha dúvidas sobre o funcionamento do fundo, garantindo decisões mais seguras.

Identifique o histórico

Outra prática que pode ajudar a selecionar um FII é conferir as informações presentes no histórico de resultados. Embora o desempenho passado não garanta uma performance futura, é uma maneira de ter uma ideia de quais resultados esperar e do comportamento do fundo em diversos cenários.

Além de verificar o retorno, você pode conferir qual foi o dividend yield, dado pela relação entre os dividendos por cotas e o preço de negociação da cota. Assim, é possível saber qual a expectativa de retorno em relação ao que será investido.

Também é interessante verificar o histórico da taxa de vacância. Se ela for elevada, o retorno pode ficar comprometido e o risco pode ser ampliado.

Recorra a uma assessoria de investimentos

Como você viu, a análise do investimento em fundos imobiliários envolve diversos aspectos para que possa selecionar as melhores alternativas para o seu portfólio. Porém, é normal que surjam dúvidas durante o processo.

Para esclarecê-las e receber informações confiáveis, você pode recorrer a uma assessoria de investimentos. Com o apoio de assessores certificados, é possível entender melhor o funcionamento dessa modalidade e como escolhê-la com maior segurança.

Agora que você já sabe como analisar o investimento em fundos imobiliários, avalie se a alternativa é adequada para a sua carteira. Além disso, você pode seguir essas dicas para fazer escolhas embasadas e alinhadas aos seus objetivos.

Quer entender melhor como uma assessoria de investimentos pode ajudar? Entre em contato conosco da HCI Investimentos e fale com um de nossos profissionais!


Compartilhe: